A crônica do trabalho


Hoje é dia primeiro de Maio, dia do trabalhador. E todo trabalhador, amando ou odiando já viu Chaves.

E você lembra do seu Madruga?

Ele era aquele personagem sempre visto pela vila fazendo alguma coisa, mas nunca tinha dinheiro, nem mesmo para pagar o aluguel. Seus únicos prazeres de consumo eram comprar um jornal de vez em quando e manter seu vício em cigarro, prazeres esses que as vezes ele abria mão em prol de agradar sua filha.

E o mais curioso: de boxeador a sapateiro o personagem é visto pelo público sempre fazendo uma coisa que pouca personagens fazem: trabalhar.

E mesmo assim, ele é rotulado por todos como vagabundo!

Talvez em sua sagacidade, o Chespirito tenha criado uma das maiores criticas sociais que podemos ver na TV, pois madruga é o personagem mais pobre e talvez o que mais trabalha. No entanto também é quem tem menos dinheiro (depois do Chaves, é claro) e é sempre visto como preguiço, e taxado como culpado pela sua própria miséria!

Estranho como a vida imita a arte...

Comentários

Veja também:

Artigos populares