Por que eu não posto mais fotos de bebidas nas redes sociais



Somos todos influenciadores, mesmo que de um grupo pequeno de pessoas. E nas redes sociais a tendência a cada dia é compartilharmos cada vez mais aspectos da nossa vida com as pessoas a nossa volta, seja aquelas que amamos ou apenas o nosso público seleto de expectadores.

Sim, você tem expectadores.

A não ser que você seja extremamente seletivo nas suas amizades virtuais, querendo ou não você acaba permitindo que pessoas que não estão dentro do seu círculo social vejam o seu dia a dia nas redes. Isto porque na grande maioria das vezes quem publica algo quer ser visualizado.

Mesmo que seja uma dezena de "amigos de amigos" você mantém nas suas redes pessoas que não são próximas. Mas, acredite, o que publicamos pode acabar refletindo na vida dos outros. Ainda mais quando essas pessoas vêem o mesmo tipo de postagem recorrentemente.

Não estou dizendo aqui que você é responsável pelas escolhas dos outros.

Quem escolheu te seguir o fez por vontade própria, e isso não deveria influenciar no que você posta ou deixa de postar nas redes sociais. Afinal de contas, a internet é uma mídia tão revolucionária justamente por que lhe permite escolher o que você vai ver.

No entanto, existem alguns dados que você precisa saber antes de promover certas práticas nas suas redes sociais.

Ressalto, não estou querendo gerar uma paranóia em relação aos seus posts, mas sim uma reflexão.

Mas diversas pesquisas apontam que redes sociais podem potencializar transtornos psicológicos como a depressão. Mas qualquer aspecto da vida cotidiana também pode fazer isso, que fique claro.

No entanto, as redes sociais elevaram a um nível exponencial a cultura do "prazer a qualquer custo", que é debatido por filósofos como Bauman e até discutido pela psicanálise pós-moderna. Isso significa que, geralmente o que você vai encontrar nas redes sociais é um culto ao prazer e a felicidade constante. E, obviamente não é possível ser feliz o tempo todo, e usar essa felicdade plena e constante como referencial pode causar sofrimento.

O ser humano é um ser social, e por isso ele avalia a si mesmo a partir do outro.

Portanto, se a medida que o sujeito tem for uma régua falsa como a das redes sociais, onde parece que o tempo todo as pessoas são bonitas, felizes e bem-sucedidas, ele vai criar para si um referencial surreal. Ou seja, se o parâmetro para a sua felicidade for as redes sociais, você vai viver em angústia.

E o grande problema que eu tenho percebido é que, muitas vezes, quando a bebida aparece nas redes sociais ela está sendo associada a lazer, relaxamento e felicidade.

É questionável se existe dose segura para o consumo de qualquer droga, e o álcool e o tabaco matam nove vezes mais do que as substâncias ilicitas

Além do mais, existe o fato de pessoas que fazem uso de certos medicamentos serem proibidas de fazer uso do álcool, e utilizar a substância como "lubrificante social" pode ajudar a promover o isolamento a quem tem problemas com alcoolismo ou então está temporáriamente proibido de consumí-lo.

Fora que, ao associar o alcool a atividades sociais e ao lazer no seu perfil, você está trabalhando para a indústria das bebidas de graça!

Quer propaganda melhor do que uma pessoa que você conhece e confia dizendo que um produto é bom e que ele lhe causa prazer? É isso que você está fazendo quando posta fotos de bebidas nas suas redes sociais.

Por mais que você pense que "uma cervejinha de vez em quando não faz mal a ninguém" após trabalhar mais de quatro anos com população em situação de rua e atender diáriamente pessoas vítimas do alcoolismo, posso dizer que a substância que às vezes é tida como inofensiva é causadora de sofrimento para muitos sujeitos e suas famílias.

Não estou dizendo que todo mundo deveria pensar como eu, e morro de medo de estar parecendo um moralista, mas penso que a seguinte reflexão precisa ser feita pelo leitor:

Você quer mesmo promover de graça esse tipo de produto nas suas redes sociais? 

A resposa de cada um vai definir de acordo com a sua consciência.

Comentários

Postar um comentário

Veja também:

Artigos populares