Um minuto de psicanálise - A proibição do Sofrer


Ontem o mundo da filosofia e da sociologia sofreu com o falecimento de Zygmund Bauman que falou bastante sobre a modernidade e as relações humanas. Bauman nos disse sobre uma liquidez dos conceitos sociais, e até mesmo de suas representações além de ter atualizado alguns conceitos da psicanálise em sua obra O Mal-estar na Pós-Modernidade que faz uma referência clara ao texto de Freud O Mal-estar Na Civilização.

O tudo que se "vende" na nossa cultura seja no mundo do capital ou do sentimento é descartável, tudo é líquido.

Outro problema, porém, muito discutido na psicanálise atualmente é a proibição do sofrer posto que hoje em dia vivemos numa sociedade do prazer onde não há espaço para o sofrimento.
É sabido que o sofrimento é parte do ser, a angústia também compõe quem nós somos.

No entanto, a cultura atual prega o prazer sem limites, constante e inextinguível. 

Na sociedade atual sofrer está "fora de moda" e somos levados a apagar nossas dores até mesmo cirurgicamente se for preciso com a ajuda de remédios, drogas e outros apêndices psiquícos.

No entanto apagar a dor da nossa alma é apagar um pedaço de nós mesmos e desfazer o contraste que faz da felicidade verdadeira uma coisa tão única. 

Comentários

  1. Não só termos que estar felizes o tempo todo, como também precisamos fingir isso, se não for o caso. Ninguém quer saber de uma pessoa sofrendo, e aí de quem resolve transformar o sofrimento em algo público. Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Artigos populares