Um minuto de psicanálise - Permita-se falhar


Falamos anteriormente sobre a proibição do sofrimento. Um assunto correlato a este é a permissão para falhar. Afinal de contas, na sociedade onde não é permitido sofrer também não abre espaço para o fracasso.

Todos precisamos ser ricos e famosos, ou extremamente bem-sucedidos em nossas profissões e somos treinados a pensar assim desde pequenos. E na modernidade, isso se agrava.

Afinal de contas nas redes sociais, todos são impelidos a vender o próprio sucesso e isso pode ser prejudicial.

Na timeline do Facebook todos parecem estar felizes, viajando ou conquistando seus objetivos. Outro fato é que isto pode até mesmo alterar a auto-imagem da pessoa, criando um ideal muito acima daquilo que seria realizável, o que pode causar angústia.

Aliás, é possível ser tão feliz como no Facebook?

Muitas pessoas não compartilham momentos tristes e principalmente seus fracassos, pois afinal de contas, estas mídias são verdadeiros currículos sociais onde se ostenta uma vida saudável e feliz onde a todo momento este tipo de postagem é recompensado positivamente com "curtidas" e comentários.

As fotos são sempre postadas no melhor ângulo, nos melhores lugares e momentos. Mas o que é necessário se atentar é que, apesar desta ilusão, a rotina pode ser muito diferente. Existem momentos extraordinários na vida de todos, mas uma vida extraordinária não é um padrão.

Então eu devo expor os meus fracassos a todos?

É importante deixar bem claro que, ao contrário do que alguns movimentos na internet pregam, não somos obrigados a compartilhar coisas negativas sobre a nossa vida, ou de nossos amigos e familiares

mas precisamos lembrar sempre que as redes sociais são um ambiente controlado, criado para condicionar as pessoas a retornarem ao site e consumir as publicidade e que, muitas vezes, não representam a realidade das vidas das pessoas que ali estão e portanto não servem de parâmetro para sua auto-avaliação.

Comentários

Artigos populares