Você dá esmola?

Hei, você. É, você mesmo. Você que dá esmola.

Você que quer fazer um gesto de caridade, mas que não quer ter trabalho de verdade. Você que tem medo da reação do pedinte, e acha que aquelas moedas não lhe farão falta. Você que quer que aquela pessoa inconveniente saia logo da sua frente.

Você está fazendo algo muito feio.

Você está evitando que famílias se unam novamente. Você está contribuindo para que uma pessoa se afunde cada vez mais no mundo das drogas. Você está mantendo na sua rua alguém que deveria estar em algum lugar onde poderia receber ajuda.

Hoje um senhor morreu. Ele vivia na rua.

E ele não procurava a sua família porque ele tinha vários problemas. Mas você, nem que seja um pouquinho, se dá esmola, ajudou a matá-lo.

Quando você dá esmola a pessoa continua na rua. Quando a pessoa continua na rua, ela dificilmente aceita ajuda, porque aceitar ajuda implica em se tratar; implica em aceitar que se tem um problema; implica em mudar.

E se ganha dinheiro na rua, por que sair dela?

Na rua ninguém te cobra. Na rua você não precisa tratar seus vícios. Na rua você não tem que pensar nas consequências dos seus atos. Na rua você só precisa da próxima dose. Na rua você só pensa na próxima refeição quando tem fome. Isso porque alguém te banca.

-- Hei moça, tem um real aí pra eu tomar um café?

"Eu poderia estar matando, eu poderia estar roubando". Eles vão te dizer. Mas eles estão ali matando a si mesmos num suicídio lento e doloroso, e roubando a esperança das pessoas que estão em casa, sentindo saudades. Muitas vezes, se sentindo culpadas porque acreditam que fizeram algo de errado e não entendem por que alguém prefere estar na rua do que no seio da família.

-- Será que a minha família é tão ruim que ele acha que viver na rua é melhor?

Hoje você ajudou alguém?

Ou simplesmente não conseguiu segurar os trocados no bolso? Ou simplesmente pagou para se livrar de uma pessoa? Você daria dinheiro para um suicida comprar uma arma e se matar? Você daria dinheiro para alguém fugir de casa e abandonar sua família? Você daria dinheiro para um usuário de crack comprar mais uma pedra?

Se a resposta é "não"...

Não dê esmola.

SAIBA DE ALGUNS FATOS:

  1. A grande maioria das pessoas que vive nas ruas têm problemas com álcool e outras drogas e usa o dinheiro ganhado através de esmolas para alimentar o vício.
  2. Existe um mercado de exploração de idosos e crianças que são trazidos de outras cidades para pedir esmola na região. Eles não ficam com o dinheiro que você dá a eles. Repassam para as pessoas que os exploram!
  3. A maioria das cidades da região possuem um CENTRO POP uma instituição onde pessoas em situação de rua podem receber alimentação, usar as dependências que incluem banheiros, local para lavar roupas e guardar os seus pertences e até mesmo ser atendidos por psicólogos e assistentes sociais para serem encaminhados a tratamentos. Tudo isso de graça.
  4. Muitas cidades possuem programas que fornecem a passagem para migrantes voltarem para suas casas.
  5. A maioria das pessoas que recebe dinheiro ou mesmo alimento nas ruas raramente acessa esses serviços.

NOTA DE ESCLARECIMENTO:"Eu não sou contra a caridade!"

Algumas pessoas vieram me abordar nas redes sociais por conta desse texto defendendo as instituições de caridade e serviços voluntários semelhantes que são organizados. Como jã expressei no título desse adendo, eu não sou contra a caridade.

Aliás admiro muitas ONGs, igrejas e outras instituições que realizam trabalho eficaz e organizado junto a comunidades carentes e oferecem gratuitamente serviços ao público. Eu estou falando aqui, caso não tenha ficado claro o suficiente, do ato de dar esmola a uma pessoa aleatória na rua, cuja situação ou histórico de vida você não conhece.

Aliás, fica a dica: Quando alguém vier lhe pedir dinheiro, indique uma dessas instituições. Procure conhecer os órgãos públicos ou de caridade que ofereçam serviços a população em situação de rua. Vou inclusive deixar aqui os nomes, telefones e endereços de algumas instituições que eu conheço na região:
CENTRO POP DE VOLTA REDONDA
  • (24)3339-9588
  • Rua Paulo Leopoldo Marçal, 117, no bairro Aterrado.
CENTRO POP DE BARRA MANSA
  • (24)3322-8098
  • Rua Alameda Vanazzi, nº 450, Ano Bom.
CENTRO POP DE RESENDE
  • (24) 3359-5557
  • Rua Samambaias, S/Nº (Em frente à casa nº 254), bairro Cidade Alegria
Você que está lendo isso de qualquer outro lugar do Brasil procure conhecer o CENTRO POP da sua cidade. Os municípios que não possuem essa instituição oferecem serviços a população em situação de rua nos CREAS.

Comentários

Artigos populares