Como fazer os leitores mergulharem na história


Já vou começar sendo polêmico, mas este é apenas um dos muitos exemplos que vou dar:

OS (MEUS) MESTRES DA IMERSÃO:

Haters gonna Hate, mas eu acho que Harry Potter é um excelente livro principalmente no quesito imersão. O texto que tornou J. K. Rowling trilhardária é grandioso, pois consegue falar diretamente com o público-alvo de seu texto: crianças e pré-adolescentes que cresceriam junto com aquele personagem!

  • Aliás, se você quer saber mais sobre a minha opinião sobre a J.K. clique aqui.
Eu fui ler Harry Potter quando tinha já meus 14 pra 15 anos, mas eu me lembro de achar a história incrível por conter uma coisa simples e ao mesmo tempo milagrosa: a magia dos contos de fadas.

Você é capaz de mergulhar no mundo de Harry Potter, de entender suas regras e até mesmo de fingir que aquilo é verdade, afinal de contas o mundo dos bruxos está paralelo ao mundo de nós trouxas.

Harry Potter: se focou no publico certo e garantiu a imersão!

Outros exemplos fortíssimos são do Tolkien, o mestre maior da fantasia na minha opinião, que foi capaz de criar um mundo tão complexo que este se torna o personagem principal de suas histórias o que transforma a experiência de leitura uma verdadeira jornada por este universo cheio de datalhes.

Me lembro da mesma imersão ao ler outros clássicos, como O Poderoso Chefão, e alguns contos de ficção científica de Philip K. Dick e outros autores.

Mestres do horror como Poe e Lovecraft também conseguem nos fazer mergulhar em seus universos macabros, ainda mais sendo eles escritores que se utilizam do artifício de dizer que aquele conto é na verdade "um registro policial" ou "o diário de alguém"que foi encontrado por acaso.

Poe: mergulhou seus leitores em mundos não muito amigáveis.

MAS COMO? 

Como nós meros mortais fazemos os leitores suspenderem a realidade e mergulhar nos universos que saem das mentes perversas dos escritores?

INSPIRAÇÃO:

Um dos fatores é a inspiração. Escrever sobre aquilo que você conhece torna o seu texto muito mais real e plausível. A verdadeira inspiração tem que vir da realidade.

  • Aliás, clique aqui e leia este artigo onde falo da origem cientifica da inspiração.

RESPEITE SUAS PRÓPRIAS REGRAS

Criar uma coesão interna no seu texto também é muito importante. Seu universo precisa ter regras bem claras para funcionar.

Isso também vale para os personagens! Fique atento as ações deles, o leitor irá perceber se o personagem fizer algo que vai contra a personalidade de um determinado personagem, a não ser que haja um motivo para isso.

ESCREVA SOBRE O QUE VOCÊ GOSTA!

Repare na sua estante. Se há mais livros de terror, é um sinal de que você não deve escrever sobre dragões e fadas. George R. R. Martin é um dos autores que diz que é preciso escrever com o coração. 

  • Aliás, leia algumas dicas do autor de Game of Thrones para novos escritores. Clique aqui.
JOGUE RPG

O autor Eduardo Spohr diz que jogar RPG é um excelente exercício imaginativo.

Eu acho o RPG tão legal que até escrevi um livro inspirado numa aventura que mestrei. Aliás, o grande chamariz desse livro foi colocar o sentimento de estar jogando RPG com os amigos dentro da história. Eu assino em baixo e digo que é um grande exercício de criatividade!

Conheça Sarlack: o Grande Dragão Verde, meu livro inspirado numa aventura de RPG! Clique aqui.

Comentários

Artigos populares