Dia da mulher e o Storytelling sexista


Se você é do time que diz "por que não existe dia do homem?" é melhor girar sobre seus calcanhares e procurar outro post pra ler. 8 de Março é uma data que demanda acima de tudo reflexão, e como escritor eu preciso trazer essa reflexão para o storytelling, afinal de contas também existe muito sexismo e outras formas de preconceito dentro desta arte.

As coisas estão mudando devagar, como mostra a nova versão da heroína Lara Croft, do game Tomb Rider [2013], mas geralmente quando vemos uma mulher com personalidade forte numa história ela é um homem com peitos ou tem deficiências sociais capazes de anular completamente a força e ao mesmo tempo a feminilidade do personagem.

Construir protagonistas mulheres é algo difícil, afinal de contas a gente cresceu e ainda vive numa sociedade machista que nos condicionou desde pequenos a pensar de forma patriarcal.

Bom, eu já fiz algumas tentativas de mudar isso, mas como eu já admiti, é muito difícil. Minha personagem Lílian, do livro Illuminatus, é um exemplo delas. Já tentei inclusive reconstruir personas como a XENA e até mesmo a Tempestade dos X-Men em alguns contos que você pode encontrar abaixo.

Mas e você? Acredita que histórias não são sexistas? Será mesmo que a mulher deve ser apenas um par romântico ou uma princesa a ser salva no final? Comenta aí!

E não esquece de dar uma olhada nos contos que citei [é só clicar pra ler1]:

 

Comentários

Artigos populares